Lobisomem (Djavan)

Pelo vento frio que começou a bater Pela paz interior do gado Descuidado caiu do céu um pingo, Vai chover Sou um bicho perdido Um der acuado num canto do abrigo Um lobisomem... Adorada distante noite escura Onde Deus se flagra imaginando: Oh ! que dor me dá de ver a terra se ferrar Tá no índio, no grego, Na pele do mundo A mancha envenenada do ciúme Assisto tudo sem ver, Sem interesse maior Vivo longe de casa E nunca pensei em voltar Assisto tudo sem crer. Nada me toca Dia triste, quantos ais Onde estais ó meu amor ? Com quem mais posso Pensar no esplendor Dia triste, dor a mais Esplendor que se desfaz Noutros ais Quando se sofre de amor.