Carta (ano De 1890) (Vanessa da Mata)

Ando nas ruas do centro Estou lembrando tempos Enquanto lhe vejo caminhar Aguando a calçada Um barbeia um velho Deita a noite e diz poesia (serenata) Ando nas ruas do centro Estou lembrando tempos Enquanto lhe vejo caminhar Aguando a calçada Um barbeia um velho Deita a noite e diz poesia (serenata) Vinho enquanto ouve choro costurar Passei em casa, seu Zé não estava Memórias Senhor Brás Cubas Postumavam Enquanto vi passar Helena pra casa de chá Vinho enquanto ouve choro costurar Passei em casa, seu Zé não estava Memórias Senhor Brás Cubas Postumavam Enquanto vi passar Helena pra casa de chá Devagar, bonde na praça Ainda borda delicadeza Torna a gente banca de flores Libertando sorrisos no ar Devagar, bonde na praça Ainda borda delicadeza Torna a gente banca de flores Libertando sorrisos no ar Ando nas ruas do centro Estou lembrando tempos Enquanto lhe vejo caminhar Aguando a calçada Um barbeia um velho Deita a noite e diz poesia Ando nas ruas do centro Estou lembrando tempos Enquanto lhe vejo caminhar Aguando a calçada Um barbeia um velho Deita a noite e diz poesia (serenata)